A RCA é uma rede de apoio mútuo formada por diversos coletivos de Madrid que assumiram a autogestão como meio e fim para desenvolver as suas vidas e meios de subsistência, tratando de manter à margem do absurdo imperante do capitalismo.

Decidimos associar-nos livremente em rede, contra as rançosas fórmulas do sistema de dominação económico e social, que só nos falam de egoísmo, submisa obediência, sacrifício, exploração, benefício e propriedade, ante o qual opomos as nossas próprias formas e valores, assentados na assembleia e a horizontalidade, na busca de uma solução coletiva, sem necessidade de competir, preferindo cooperar, todas por igual com a mesma voz e sem ter que suportar mais o escutar ordens de ninguém.

De tal maneira, entre os coletivos integrantes da RCA procuramos a geração de sinergias e apoios que permitam a materialización das aspirações de todos os projetos integrantes, a sua perpetuação e viabilidade, bem como a extensão de relacionamentos sociais e económicos livres e autogestionárias entre a sociedade.

PRINCÍPIOS

Os fundamentos da RCA (Rede de Coletivos Autogestionados) são a livre associação e o apoio mútuo. Os coletivos associados à RCA somos completamente autónomos no exercício da nossa atividade e vinculamo-nos entre nós por um denominador comum: os acordos que livremente subscrevemos em Assembleia.

A gestão dos recursos e tomada de decisões mediante assembleia, impede e posiciona-nos frontalmente contra qualquer forma de exploração, entendida esta como o alheamento do produzido tanto como da própria vontade e capacidade de decisão, de forma que se alguém não possui aquilo que produz ou não tem possibilidade de decidir sobre aquilo que realiza, está a ser explorada/o.

Por sua vez, eliminamos o ânimo de lucro como fim de qualquer atividade económica, uma vez satisfeitas as nossas necessidades de maneira suficiente e digna, não procuramos a mera acumulação de capital, o lucro, senão que os excedentes se destinam tanto a projetos em desenvolvimento como novos, por tanto nossa intencionalidade vai encaminhada a estender métodos livres de nos relacionar, trascendendo a todos os âmbitos possíveis e possibilitando que a autogestão generalizada seja uma realidade para o conjunto da sociedade.

QUEM SOMOS?

Somos nós, mas também somos tu, somos todas aquelas pessoas que padecemos a vida sob o capitalismo, e que não a queremos esbanjar sofrendo empós de interesses alheios a nós mesmas.

Somos as pessoas que nos cansámos de receber ordens, mas que também não as queremos dar. Já nunca mais chefes, capataces, comandos intermédios, diretores e toda a enfiada de tiranos/as e déspotas.

Somos quem, fartas de que se valorize à gente segundo as suas posses decidimos rejeitar a propriedade privada e primar a coletiva, fazendo comum não apenas o material, também os conhecimentos e os recursos.

Somos aquelas que rejeitamos o sistema mercantil e a condição assalariada, base da exploração, quem estamos fartas de viver em função do dinheiro e preferimos fazê-lo em função das necessidades reais das pessoas e as suas paixões.

Simplesmente aprendemos a pôr em prática aquilo que desejávamos, autogestionando as nossas vidas e desterrando ao fim essa desagradável sensação de não pertencermos a nós próprias e sim à reprodução e acumulação de mercadoria, a qual tínhamos que produzir para manter o benefício e poder das classes dominantes.

Em definitiva, somos pessoas ou coletivos que abrangemos áreas muito diversas, de produtores a serviços de todo o tipo, também criação artística, cultural, política, de conteúdo social e inclusive nada de todo o anterior, mas que temos um nexo em comum: o desejo de transformarmos esta sociedade e chegarmos à autogestão generalizada mediante o modelo assemblear.

O QUÊ PRETENDEMOS?

O objetivo da RCA é construir estruturas de tipo económico, político e social que sustentem e impulsionem a transformação social para parâmetros livres e igualitarios que permitam às pessoas se desenvolverem sem condicionantes.

Também pretendemos fornecermo-nos dum meio digno que nos permita viver o mais alegremente possível, fomentando e gerando uma sociedade onde as pessoas disponham livremente de si próprias.

O QUÊ É A AUTOGESTÃO?

Autogestão é a organização social que reconhece o poder de desenvolver a nossa vida quotidiana por nós próprias ou mediante assembleias, convertendo à cada qual em dono da sua própria vida mediante a harmonização dos direitos e interesses individuais empós dum bem coletivo.

Entendemos a autogestão como um todo, queremos a autogestão das liberdades, não da opressão nem que em nome da autogestão se veiculem as estruturas do sistema.

A autogestão rejeita as ingerências e imposições externas, já sejam em forma legal, económica ou de qualquer tipo e não acata aquilo que não emane da decisão da própria assembleia de autogestão.

 

CRITÉRIOS DE INCLUSãO NA RCA

  • Realizar uma atividade social ou económica de produção, serviços, consumo ou integral, sem ânimo de lucro.
  • Aspirar à transformação social.
  • Um único órgão de decisão: a assembleia horizontal.
  • Não explodir a trabalhadores e trabalhadoras.
  • Não depender de subvenções privadas ou estatais.